Vereadores diminuem próprios salários de R$ 3,4 mil para R$ 980 em cidade de MS

Câmara de Guia Lopes da Laguna

Câmara de Guia Lopes da Laguna

Os seis vereadores de Guia Lopes da Laguna, distante 234 quilômetros de Campo Grande, aprovaram por unanimidade na noite desta terça-feira (1º) um projeto de lei para reduzir em 75% os salários dos vereadores, além de reduções diferentes para o prefeito, vice e secretários municipais. Como não podem legislar sobre o próprio mandato, a validade seria a partir de 2017.

Prefeito, Jácomo Dagostin (PMDB) prometeu que vai aprovar o projeto, mas ironizou a medida. “Eu acredito que se eles estivessem mesmo preocupados com a crise, dariam um jeito de diminuir os salários agora mesmo, já no mandato deles. Ou então abririam mão de parte do duodécimo”.

Segundo Jácomo, são repassados mensalmente R$ 96 mil à Câmara e parte deste dinheiro poderia ser usada para outra finalidade. Ele disse que vai procurar o Legislativo municipal para sugerir o corte do duodécimo.Jácomo foi cassado em julho pelos mesmos vereadores e está no cargo por liminar.

Com a proposta, o salário do futuro prefeito passará de R$ 16 mil para R$ 5 mil; do vice-prefeito de R$ 8 mil para R$ 980; dos secretários de R$ 6 mil para R$ 3 mil e dos vereadores de R$ 3,4 mil para R$ 980.

Todos os vereadores (Ademir Biu, Marlon Barbosa, Gilberto Ferreira de Souza,Sergio Soares Fragoso, Rodrigo Arruda e Cleonete Moreno) aprovaram o projeto, sob as justificativas de economia aos cofres públicos perante a crise e a diminuição da busca pela carreira política visando o enriquecimento.

Ademir Biu rebateu o prefeito e disse que o Legislativo não tem como mudar o próprio salário. “Ao contrário dele (prefeito), que poderia seguir o exemplo do governador Reinaldo Azambuja e cortar pela metade o que recebe. Ele tem esta autonomia, nós não”, defendeu. Para ele, o prefeito pode até vetar o projeto, mas os vereadores estão comprometidos em derrubá-lo e fazer a mudança. Sobre o repasse do duodécimo, Ademir destacou que a verba é definida pela Constituição.

Em Campo Grande, aconteceu o contrário. Os vereadores aprovaram um aumento de até 23,6%nos salários. O vencimento do prefeito pode sair de R$ 20.412,42 para R$ 25,7 mil. O vencimento dos vereadores passará de R$ 15 mil para R$ 18,9 mil e o subsídio dos secretários também sobe de R$ 8,5 mil para R$ 10,7 mil.

*Com Inf. do Midiamamax

Comentários

comentários

Link curto:

Você precisa estar conectado para comentar a notícia Conectar